A partir de Outubro de 2017, ao entrar no seu 8º ano de existência, o Clube de Leitura em Voz Alta passou a Coro de Leitura em Voz Alta. Continua a ter uma periodicidade quinzenal e a acontecer na Biblioteca de Alcochete.

Os objectivos continuam a ser os mesmos; promover o prazer da leitura partilhada; a forma passou a ser outra.

próxima sessão | 23 Fevereiro 2016

será o tema das leituras
***ATENÇÃO***
os textos terão de ser humorísticos

a Graciete lerá um autor para si desconhecido

Correspondências



Antes de entrarmos nas leituras do tema do dia assistimos à exposição da tese do João Duarte Victor sobre o CLEVA, bem como o vídeo que a acompanhou. Foi emocionante assistir em conjunto àquilo que tem sido este clube de leitura: relembrar momentos e pessoas, ver tratado academicamente e de forma tão generosa aquele que tem sido o trabalho da Andante com a comunidade em Alcochete.

Depois deste banho emocional, foi entregue pela senhora vereadora da cultura, Raquel Prazeres, uma lembrança da Câmara Municipal de Alcochete à Andante pelo trabalho desenvolvido nas comemorações dos 500 anos do Foral de Alcochete. Houve também um "diploma" de participação para os membros do CLEVA que colaboraram no espectáculo "À barca!", realizado em Janeiro de 2015 para as ditas comemorações.

Entrámos finalmente no tema do dia: CORRESPONDÊNCIAS.

No fim da sessão podia-se dizer que Fernando Pessoa era o grande vencedor da noite. A sua correspondência com Ofélia Queiroz e não só e ainda um romance de Sónia Louro (Fernando Pessoa O romance, ed. Saída de Emergência) onde as suas cartas são citadas.
Para além de Pessoa, tivemos correspondência de: Florbela Espanca, Eça de Queiroz (uma carta a Oliveira Martins e outra de Fradique Mendes a Guerra Junqueiro), Pero Vaz de Caminha (a maravilhosa Carta do Achamento do Brasil), Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena (a troca acutilante de cartas entre os dois poetas que foi editada pela Ed. Guerra e Paz), Ana Bacalhau ( a vocalista dos Deolinda que escreveu uma carta à avó, incluída no livro 21 Cartas de Amor, editado pela Associação Abraço) e Marta Gautier (excerto do romance Tanto que não te disse, editado pela Relógio D'Água). Houve ainda um poema de António Ramos Rosa, Telegrama, lido de forma entusiasmante pela Gabriela Postolache. Estes foram os autores portugueses. Dos estrangeiros, ouvimos: James Long ( um excerto do romance "Ferney" da ed. Planeta), Ian McEwan (um excerto de A Balada de Adam Henry, editado pela Gradiva), Susanna Tamaro (excerto de O fogo e o vento editado pela Presença) e Mario Vargas Llosa (um excerto do hilariante Pantaleão e as visitadoras, editado pela Dom Quixote).

A nossa "Feira do Livro Emprestado" vai de vento em popa e claro, acabámos como sempre: a comer e a beber.

Como a pessoa encarregue da rubrica "Autor desconhecido", neste caso a Graciete Correia, não pode estar presente, a Cristina falou de uma autora que nunca tinha lido: Elena Ferrante. O sucesso editorial de 2014 e 2015, o número elevado de leitores entusiastas, o mistério que envolve a autora (sabe-se muito pouco sobre a sua vida, não dá entrevistas e não aparece em público na divulgação dos seus romances), os críticos literários rendidos à sua forma de escrita, enfim, são muitas as razões que despertam a nossa curiosidade. Na biblioteca de Alcochete há dois livros seus e a Cristina requisitou logo "Os dias do abandono" que já está a ler e a adorar!!!