A partir de Outubro de 2017, ao entrar no seu 8º ano de existência, o Clube de Leitura em Voz Alta passou a Coro de Leitura em Voz Alta. Continua a ter uma periodicidade quinzenal e a acontecer na Biblioteca de Alcochete.

Os objectivos continuam a ser os mesmos; promover o prazer da leitura partilhada; a forma passou a ser outra.

Riso

Riso em Dia Mundial da Poesia

As palavras desenrolaram-se, não fossemos nós pessoas sérias! O medo desta seriedade, levou a Isabel a fazer artesanalmente umas bocas, com diferentes expressões de risos, para combater exactamente a seriedade do grupo!



A Boca As Bocas” foi o poema de David Mourão-Ferreira, escolhido pela Oriana e a Manuela – em que a preocupação da Oriana era não comer as gulodices colocadas na mesa - rodeada pelas pessoas sérias, em jeito de tertúlia - pois podia colocar alguma nódoa na obra autografada pelo autor para o seu pai, “As Lições do Fogo”.Já a Manuela trocou o trincar da laranja pelo morango, o que levou a que a Oriana lesse lenta, lentamente (coisa inédita!) para dar tempo à Manuela para ordenar o mastigar da fruta!

Continuando com a parte do corpo que veicula o riso – Boca – surge a leitura em voz alta da Neusa, com o Soneto XIII de BocagePoesias Eróticas, Burlescas e Satíricas”, tema rural com vasta descrição de madeiras de diferentes árvores!!!

A este poema antecedeu a Isabel com o Soneto XX de Bocage, retirado de “Clássicos
Portugueses”, em substituição da Leo, que não pôde comparecer devido a uma indisposição gástrica do seu fiel amigo, largamente descrita no dia seguinte!

Este CLeVA, sem a presença da Cristina e do Fernando, que à altura representavam a sua peça “Aleatório” na Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira, foi iniciado com um jogo de palavras para grupos, em que sequencialmente é proferida uma palavra que se relaciona com a palavra dita pelo participante anterior, a título de exemplo… oral-exame-chumbo-horror-suicídioassassinato-policia-farda…

A Eduarda levou a agenda cultural, informando que dia 1 de Abril vai haver uma actividade de literatura mundial, aqui na Biblioteca de Alcochete, em que a nossa Miss Loja (Manuela) irá ler uma obra em inglês.

No mesmo dia, por convite da Eduarda, o autor João Pedro Mésseder, já apresentado numa sessão do CLeVA pela Cristina, deslocou –se à Biblioteca da Escola D. Manuel I, onde teve a oportunidade de ver o empenho e trabalho levado a cabo pela Eduarda, o qual elogiou com o destaque de se ver que é um local onde “acontecem muitas coisas”. Assim, a oferta do livro “À Noite as Estrelas Descem do Céu”, inspirou a Isabel para nos pôr a ler em cânone, método aprendido no CLeVA, o que resultou muito bem!




Eramos 9! Já descontamos nas leituras, a Oriana, a Manuela e a Neusa! Faltam 6, portanto! Eis, se não quando, aparece a Helena Almeida, utilizadora das redes sociais, que ao ver a foto de grupo da Neusa publicada no início da sessão, pressentindo que não era sessão para perder, rapidamente abandona o aniversário do seu marido, para nos ler Pablo NerudaO teu Riso”. Uma leitura mais sóbria, romântica e platónica, do que o complemento literário que a Manuela requisitou na Biblioteca e levou para apimentar a leitura conjunta com a Oriana, e que muito interessou a Helena!


 Já só faltam 5!



A nossa combativa Alex, após ter afogado a sua depressão passageira na confecção do seu magnífico bolo de chocolate, (em que metade foi rapidamente devorada antes mesmo de cantarmos os parabéns por 2 vezes, do seu aniversário recente), decidiu, no dia Mundial da Poesia, levar Filipa Leal com “Pelos Leitores de Poesia”. Aqui, a ironia leva a que ora se enaltecem os poetas, ora nem por isso!








 Foi então a vez do Avelino, que com Pessoa entre 1930-33, escolhendo o de 16/11/1932,
nos delicia com uma leitura calma e relaxante, sem páginas oscilantes de mãos trémulas! Parabéns Avelino!














A criativa Isabel, após nos colocar um sorriso em cada cara, leu, com a sua voz quente, a sua adaptação da obra de Rodrigues Lapa, “Poetas do Séc. XIII”.

A Ana, que nos teve de deixar mais cedo para comparecer à sua reunião de condomínio (quem lhe tira uma boa reunião de condomínio…), levou-nos os “Brinquedos para Homens”, do Carlos Drummond de AndradeAmar Se Aprende Amando”. O texto fala da rejeição à imposição da moda dos jogos electrónicos mas o título possibilitou a divagação das mentes…

A Eduarda, para terminar, inexplicavelmente, pensava a esta altura “Como Será Estar Contente”, pelas palavras do António Gedeão da sua “Obra Completa”.



A fusão das obras com os leitores, do tema (O Riso) com o ambiente, levou à descrição
conjunta das obras e de quem as escolheu, gerando possivelmente inexactidões ou menor
precisão sobre as mesmas. Mas esta sessão, em jeito de tertúlia, com a cumplicidade já
instalada entre os presentes, permitiu aplicar os ensinamentos da Cristina, compreender a sua garra em nos manter na linha e perceber que o Fernando não esteve presente, pois o Avelino retomou a casa, algo aborrecido, com a garrafa cheiita!

Fomos 9 leitores de poesia em voz alta, no dia Mundial da Poesia, com o tema nas nossas
bocas – O Riso!

Nada de novo portanto, pois ainda não houve sessão em que este tema não estivesse
presente!

O “livro do dia” foi sobre alguém que pisou um rato (leitura pouco própria, pois estávamos à
mesa a comer), e que utiliza isso para tornar o seu dia mais feliz, porque gera algo disruptivo na azáfama do dia-a-dia! “Contos de Clarice Lispector”, foi apresentada pela leitora com mais tempo de antena no programa Literatura Aqui!, e que na sua graciosidade e voz envolvente, ainda não explicou o motivo por tal ter acontecido…


a Ana Simões trouxe-nos "Contos" de Clarice Lispector como livro do dia

...

Sem comentários:

Enviar um comentário